loading...

“Tão barata que parece água”. Donald Trump não tem ideia do preço da insulina




O Presidente dos Estados Unidos afirmou falsamente que os preços da insulina caíram drasticamente durante o seu mandato, chegando mesmo a dizer que o fármaco é comercializado a um preço tão barato que parece água.

Donald Trump proferiu estas declarações durante o primeiro debate presidencial com o democrata Joe Biden, que decorreu na passada terça-feira. “Vou dar-te um exemplo. A insulina estava a destruir famílias, a destruir pessoas, o seu custo (…) Agora estou a comprá-la a um preço tão barato que parece água. É tão barato”.

Apesar das declarações de Trump, o preço da insulina não tem baixado nas últimas décadas e, para a maioria das pessoas que vivem nos Estados Unidos, um frasco de insulina custa cerca de 300 dólares, segundo o portal STAT.

Uma pessoa com diabetes pode precisar de dois a três frascos de insulina por mês – ou seja, os encargos com o fármaco pode ascender a 900 dólares.

Os preços deste fármaco não só não desceram como subiram nas últimas décadas: em 2002, o preço médio por milímetro da insulina rondavam os 4,34 dólares nos Estados Unidos; em 2013, este valor quase triplicou para 12,92 dólares por milímetro, de acordo com um estudo de 2016 citado pela revista norte-americana Vice.

E, entre 2012 e 2018, os preços da insulina aumentaram 11%, embora o custo de produção tenha diminuído, segundo o American Action Forum.

Alguns estados norte-americanos têm tomado decisões por conta própria para fazer face aos elevados preços da insulina. O Colorado, por exemplo, limitou o co-pagamento da insulina a 100 dólares mensais, embora esta diretiva se aplique apenas a pessoas com seguro. Neste estado estado, que tem cerca de 5.759 milhões habitantes, cerca de 361.000 pessoas não tinham qualquer seguro de saúde em 2019.

Fonte e foto: ZAP

Comente com o Facebook:

INFORMAÇÃO

Algumas fotografias utilizadas neste blog e alguns artigos são provenientes de outras fontes como Jornais, Revistas, Blogues, órgãos de comunicação social, bases fotográficas estrangeiras e motores de busca. Todos os artigos tem a fonte da foto e da noticia no final do mesmo. Se alguma entidade se sentir lesada ou não permitir a utilização de algum conteúdo utilizado neste sítio comunique-nos, por favor, e prontamente será retirado.