loading...

Mona Lisa escondia desenhos secretos agora revelados. O retrato pode representar uma “deusa”




Um cientista realizou uma intensa pesquisa a cerca de 1650 fotografias de alta qualidade, e descobriu que por trás do famoso quadro da Mona Lisa podem estar desenhos secretos elaborados por Da Vinci.

Ao longo de 15 anos, Pascal Cotte analisou 1650 imagens tiradas de câmaras de alta tecnologia, e percebeu que séculos depois da sua criação, a Mona Lisa da autoria de Leonardo da Vinci, ainda pode ter segredos por revelar. Através do seu estudo, Cotte encontrou esboços ocultos numa das pinturas mais famosas do mundo. As descobertas do cientista foram publicadas no Journal of Cultural Heritage em agosto de 2020.

O desejo de desvendar os segredos da Mona Lisa começou em 2004, quando o Museu do Louvre, em Paris, permitiu que Cotte fizesse digitalizações fotográficas da obra de arte. O cientista explica o porquê de ter sido escolhido para executar a minuciosa tarefa: “o Louvre convidou-me porque inventei uma nova câmara multi espectral de altíssima resolução e com alta sensibilidade”.



Desde então, Cotte tem analisado incansavelmente mais de 1650 imagens da sua câmara. A câmara Lumiere Technology, utiliza um método de amplificação para detetar a luz refletida em 13 comprimentos de onda — técnica conhecida como L.A.M. O método de digitalização baseia-se na tecnologia anterior da fotografia infravermelha, diz o ati.

A nova câmara de alta tecnologia permitiu que Cotte detetasse linhas de carvão subjacentes nas áreas mais claras da pintura, através de uma combinação de fotografia e refletografia infravermelha. “O sistema ótico permite ver detalhes muito finos, e a alta sensibilidade permite uma amplificação muito alta”, disse o cientista.

O spolvero denuncia um underdrawing completo

A técnica spolvero, é um método usado para transferir os primeiros esboços de uma pintura para a tela. Primeiro, o artista faz furos ao longo dos contornos do esboço. Em seguida, coloca o desenho sobre a tela e pulveriza um pó fino de carvão, ou argila, através dos orifícios para marcar os contornos.

A análise de Cotte à Mona Lisa marca a primeira vez que um spolvero foi detetado na famosa pintura, provando assim que da Vinci fez um esboço antes de criar a obra.

O underdrawing mostra uma silhueta completamente diferente da composição final. Se um desenho em papel da Mona Lisa fosse encontrado, provavelmente teria uma pose diferente da que conhecemos.

Além da pose alterada do esboço inicial, o estudo de Cotte também revelou sublinhados a carvão de um pedaço de cabelo que foi desenhado na cabeça da Mona Lisa. Curiosamente, esse estilo de cabelo não era moda em Florença na época em que a pintura foi feita. Este detalhe sugere que a pintura não era um retrato, mas sim uma obra alegórica em representação de uma “mulher irreal, como uma deusa”.

O estudo de Cotte não é o primeiro a descobrir a técnica underdrawing em obras de Leonardo da Vinci. Alguns traços de spolvero foram descobertos na superfície de pelo menos duas outras obras do artista, sendo elas a Virgem das Rochas e São Jerónimo.

Fonte e foto: ZAP

Comente com o Facebook:

INFORMAÇÃO

Algumas fotografias utilizadas neste blog e alguns artigos são provenientes de outras fontes como Jornais, Revistas, Blogues, órgãos de comunicação social, bases fotográficas estrangeiras e motores de busca. Todos os artigos tem a fonte da foto e da noticia no final do mesmo. Se alguma entidade se sentir lesada ou não permitir a utilização de algum conteúdo utilizado neste sítio comunique-nos, por favor, e prontamente será retirado.