loading...

Vacina para a covid-19 vai ser gratuita na Austrália




A Austrália chegou a acordo com o grupo farmacêutico sueco-britânico AstraZeneca para obter a vacina que está a ser desenvolvida com a Universidade de Oxford, no Reino Unido, anunciou nesta terça-feira o primeiro-ministro, garantindo que será fabricada e distribuída gratuitamente.

A ‘vacina Oxford’ é uma das mais avançadas e promissoras do mundo e, com este acordo, garantimos a disponibilidade antecipada para todos os australianos”, afirmou o primeiro-ministro australiano Scott Morrison.

Se esta vacina se mostrar eficaz, iremos fabricar e entregar vacinas imediatamente, sem a ajuda de ninguém, e torná-las gratuitas para os 25 milhões de australianos”, assegurou.

A “vacina Oxford” é uma das cinco vacinas atualmente no nível três de testes, ou seja, no penúltimo do processo, e os investigadores esperam ter resultados até ao final do ano.

Este é o primeiro acordo do género assinado pela Austrália, embora o primeiro-ministro tenha adiantado que o governo também está a discutir com “outros interlocutores no mundo” sobre potenciais vacinas e a apoiar os esforços dos cientistas locais.

No entanto, o país ainda não assinou um acordo final com a AstraZeneca sobre o preço da vacina e não foi escolhido nenhum fabricante local.

A Austrália já assinou um acordo de 25 milhões de dólares australianos (15,2 milhões de euros) com a empresa norte-americana de equipamentos médicos Becton Dickinson para o fornecimento de cem milhões de seringas e agulhas, que serão usadas para administrar as doses de vacinas.

O jornal britânico The Guardian escreve ainda que Morrison quer tornar a vacina obrigatória, sublinhando que o governante já traçou planos para “devolver o país à vida normal” após combater uma segunda onda no país.

O objetivo, disse, é que 95% da população fosse vacinada e o primeiro-ministro australiano espera que a vacina seja obrigatória para toda a população, exceto para aqueles que não a podem tomar devido a motivos de saúde.

Entretanto, o governante esclareceu as declarações, dizendo que administração da vacina não será obrigatória mas sim “encorajada”.

Cinco vacinas em fase de testes

Nenhuma vacina contra o coronavírus que provoca a covid-19 se mostrou ainda eficaz em ensaios clínicos, mas já foram encomendadas pelo menos 5,7 mil milhões de doses em todo o mundo. Cinco vacinas – três de países ocidentais, incluindo a “Oxford”, e duas da China – estão na fase três dos testes, estando a ser aplicadas em milhares de pessoas.

A AstraZeneca também chegou a acordo com os EUA, a Europa e o Brasil, e o ministro da Saúde da Grécia manifestou esta segunda-feira a esperança de receber em dezembro as primeiras doses da vacina, na sequência de um acordo entre a União Europeia e a indústria farmacêutica. A Comissão Europeia anunciou na sexta-feira ter chegado a acordo com o grupo farmacêutico para adquirir uma potencial vacina contra a covid-19.

A CE afirmou que, “assim que a vacina se revelar segura e eficaz”, comprará 300 milhões de doses, tendo ainda “opção de compra de mais cem milhões para os Estados membros”.

O primeiro-ministro australiano também garantiu que o país mantém a promessa de dar acesso rápido à futura vacina aos países do Pacífico e aos seus parceiros regionais no Sudeste Asiático. Recentemente, Scott Morrison pediu a todos os países que partilhassem a futura vacina, afirmando acreditar que qualquer país que descubra uma vacina eficaz e não a partilhe “será muito mal avaliado pela história”.

A Austrália foi considerada um dos países mais bem-sucedidos no controlo da epidemia, até que um surto no estado de Victoria alterou essa imagem. As autoridades ordenaram um recolher obrigatório noturno e o encerramento de empresas não essenciais até, pelo menos, 13 de setembro em Melbourne, a segunda maior cidade do país.

Fonte e foto: ZAP

Comente com o Facebook:

INFORMAÇÃO

Algumas fotografias utilizadas neste blog e alguns artigos são provenientes de outras fontes como Jornais, Revistas, Blogues, órgãos de comunicação social, bases fotográficas estrangeiras e motores de busca. Todos os artigos tem a fonte da foto e da noticia no final do mesmo. Se alguma entidade se sentir lesada ou não permitir a utilização de algum conteúdo utilizado neste sítio comunique-nos, por favor, e prontamente será retirado.